6 dicas para estudantes de enfermagem que cuidam de idosos

Tempo de leitura: 6 minutos

Ao chegar a época do estágio, os estudantes de enfermagem devem estar preparados para encarar desafios. Prestar cada atendimento de maneira humanizada e aplicar com máxima habilidade os conhecimentos até então adquiridos são pontos cruciais dessa etapa da formação. Mas, e quando o estagiário vai lidar com o paciente idoso, como deve ser a sua conduta?

Continue a leitura e descubra nossas 6 dicas sobre o que fazer ao estagiar com idosos!

1. Tenha paciência

Ter autodomínio e paciência é pré-requisito para uma carreira de sucesso na área da saúde. Assim, essas qualidades devem ser exercitadas pelos estudantes de enfermagem em toda e qualquer circunstância profissional.

Nesse contexto, destacar a paciência que se deve ter ao cuidar de idosos é chamar a atenção para uma situação especifica, na qual ser compassivo é essencial.

Veja que as pessoas envelhecem de maneiras diferentes: por isso é importante ter em mente que cada idoso possui seu próprio ritmo e comportamento, ambos devendo ser levados em consideração na hora dos procedimentos e cuidados.

2. Dialogue sempre

As práticas de enfermagem estão se tornando rotineiras para você, na medida em que o estágio avança, mas para seu paciente idoso cada conduta pode representar uma situação inteiramente nova.

Ter essa consciência é essencial na hora de lhe prestar cuidados: evitam-se, assim, situações desagradáveis ou constrangedoras.

Pense que o idoso está fora de casa, preocupado com sua condição de saúde, distante da rotina a qual está habituado e de tudo que conhece como normal.

Então, a primeira atitude a tomar na interação com ele é estabelecer diálogo: apresente-se, diga seu nome, sua função e que papel desempenha na instituição onde o idoso está. Ele ficará mais confiante e relaxado em sua presença, tendo essas informações.

Nessa mesma linha de atuação, proceda de tal maneira que a cada conduta de enfermagem – por mais simples que seja –, seu paciente saiba antecipadamente o que e como será feito.  Essa comunicação vai tranquilizá-lo.

Mais um efeito da comunicação com o idoso é que ela ajuda a identificar necessidades, dúvidas, temores e insatisfações. Portanto, mostre-se acessível, responda com clareza as perguntas feitas a você e estimule o idoso a se expressar.

Desse modo você gera empatia, importante facilitador da relação enfermeiro-paciente.

3. Incentive independência

Ao lidar com o idoso, perceba além das limitações: enxergue suas potencialidades. Seja durante um curto espaço de tempo, ou no acompanhamento cotidiano, você notará ações que ele está apto a executar sozinho. 

Reconhecer esses pontos e incentivar ao máximo sua prática diária serve a vários objetivos, entre eles elevar a autoestima e conservar/promover a autonomia do paciente.

Além disso, conforme ele desempenha as atividades rotineiras de forma mais independente, tem sua qualidade de vida aumentada. Assim, busque reconhecer e estimular suas capacidades de autocuidado, a exemplo de comer, colocar a roupa e tomar banho.

Mesmo acompanhando de perto cada uma desses movimentos, incentive-o a manter/conquistar autonomia. Relacionar-se com ele dessa maneira mostra respeito e consideração, bases sólidas para conquistar sua boa vontade para os momentos de interação com a enfermagem.

Atente-se, entretanto, a real capacidade do idoso: solicitar que ele faça mais do que consegue tende a aumentar seu estresse, já que evidência as incapacidades funcionais existentes.

4. Resguarde a intimidade do idoso

Há diversos procedimentos que colocam pacientes mais velhos em uma posição de fragilidade, entre eles a hora do banho de leito. É durante esse momento que o idoso com locomoção/mobilidade prejudicada experimenta a sensação de estar nu diante de estranhos.

Essa hora é muito delicada: alguns pacientes até mesmo a temem, ou reagem mal diante da chegada do enfermeiro que fará a conduta.

Uma das saídas a essa questão está em resguardar a intimidade do idoso. Para isso, as medidas abaixo são indicadas:

  • Fechar a porta do quarto;
  • Solicitar que a circulação no ambiente seja mínima;
  • Pedir ao paciente que autorize o procedimento, antes de dar início a ele;
  • Utilizar toalha ou lençol para manter cobertas as partes do corpo que não estiverem sendo banhadas.

Outra atitude a tomar consiste em dar ao idoso a opção de lavar as partes íntimas – e onde mais ele puder alcançar.

Agir com descontração e bom humor durante essa interação é outra boa estratégia a adotar, tanto para minimizar o constrangimento como fortalecer seu vínculo com o paciente.

5. Seja firme

Quando o idoso recusa-se a aceitar as medicações para ele prescritas, ou não quer de jeito nenhum ser tratado, nada de hesitar: seja firme. Fale com autoridade, e deixe bem claro que não aceita uma negativa como resposta.

Importante apresentar ao paciente argumentos sólidos para justificar sua atitude e fazê-lo proceder conforme é indicado. Tudo com muita calma e respeito, sem jamais perder a razão.

6. Enxergue o idoso

O senso comum sobre o que é ser idoso deve ser deixado de lado pelos estudantes de enfermagem que queiram lidar bem com pacientes geriátricos. Por isso, descontrua: as pessoas idosas são, acima de tudo e além de qualquer preconceito, entes únicos, com individualidade e toda uma bagagem de vida.

Por isso, ao estagiar com a terceira idade, enxergue o paciente: lance um olhar reflexivo sobre ele, leve em conta sua realidade. Veja-o não apenas como alguém total ou parcialmente dependente de cuidados, mas um ser com valores, crenças e vivências próprias, possuidor de múltiplas necessidades à espera de serem satisfeitas.

Considere, então, as muitas dimensões do idoso, una ciência e sensibilidade, dê o melhor de si. O cuidado assim, humanizado, significa apoio e afetividade para o paciente. E a afetividade abre um mundo de possibilidades ao profissional de enfermagem, já que o cuidado pode ser representado pela relação afetivo/efetivo.

Em cada um das dicas que elencamos acima, reforçamos o caráter humano do cuidar. Pois só é possível abordar práticas para trabalhar com idosos a partir do aspecto fundamental da profissão de enfermeiro, que é ser humano. Dessa maneira, estudantes de enfermagem, estejam sempre conscientes de que seu trabalho deve basear-se em muito conhecimento técnico e grandes doses de interesse, zelo e carinho.

Tem mais alguma dica sobre estagiar em enfermagem? Comente aqui!

Sobre carlos.camara

Esta área é reservada para a biografia do autor e deve ser inserida para cada autor a partir da seção Informações biográficas, no painel administrativo. Caso deseje incluir links para as redes sociais de cada autor do site, recomendamos que instale o plugin WordPress SEO. Após instalado, o plugin criará os respectivos campos para links das principais redes sociais (Facebook, Google Plus e Twitter). Após preenchidos os campos, os links de cada rede aparecerão automaticamente aqui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *