7 passos para elaborar um plano de carreira eficiente

Tempo de leitura: 17 minutos

Com tantos profissionais se graduando, o mercado de trabalho se transformou em um campo de batalha, onde só sobrevive quem tem as melhores armas para vencer a concorrência.

E, para chegar aonde deseja, as pessoas precisam planejar o futuro. Afinal, contar com a sorte e com a ajuda do destino pode trazer, na maioria dos casos, um emprego exaustivo e mal remunerado.

Você vai ou já deve ter ouvido falar de algo chamado plano de carreira. Essa estratégia é muito utilizada por profissionais de sucesso, que têm o intuito de direcionar o seu crescimento e de atingir metas.

Para quem está de fora, parece que essas pessoas construíram a sua história de sucesso contando apenas com o próprio talento. Mas, na prática, para alcançar as metas e vencer os desafios que a jornada profissional traz, esses profissionais precisaram de planejamento.

Neste post, listamos alguns passos para elaborar um plano de carreira eficiente e se realizar profissional. Você está preparado para descobrir quais são eles? Então continue com a leitura!

A importância de um bom planejamento

Qualquer pessoa que deseja sair do lugar-comum e tem a ambição de chegar a cargos maiores e mais estáveis dentro de uma empresa — ou mesmo que deseja construir uma carreira que faça a diferença no mundo — precisa ter os seus objetivos bem definidos. E com um plano de carreira esse profissional pode planejar melhor como chegar lá.

Fazer um planejamento consistente, baseado em suas preferências e metas, auxilia as pessoas a:

  • alcançar os seus sonhos;

  • descobrir as suas competências;

  • revelar as habilidades que precisam desenvolver;

  • economizar energia e dinheiro investindo apenas em ideias que darão certo;

  • e saber quanto tempo levarão para chegar onde desejam.

De uma maneira geral, existem dois tipos de planos de carreira.

O primeiro é o criado dentro dos ambientes corporativos e é essencial para o desenvolvimento de uma empresa. É um programa feito pelo setor de recursos humanos (RH) ou pelos líderes, para que cada colaborador saiba o que é preciso fazer para crescer no seu cargo, de acordo com a sua formação e com as suas habilidades. Para a empresa, esse plano é muito eficiente, pois ajuda a reter talentos, aumenta a qualidade dos serviços prestados e, claro, incrementa o lucro da organização.

Mas não é sobre esse plano de carreira que nós focaremos nesse post, mas sim sobre o segunda tipo: o individual, feito não sobre a visão de líderes, mas sobre a sua própria. Em que você cria um planejamento de acordo com o que deseja.

Ter um cargo estável? Um salário alto? Uma posição de liderança? Trabalhar poucas horas e não sacrificar o seu fim de semana? Atuar em uma área que já tem experiência? Você escolhe. E com um plano de carreira terá as ferramentas certas para alcançar o seu objetivo em menos tempo do que você imagina.

Confira os 7 passos essenciais para elaborar um plano de carreira agora mesmo:

Os passos para elaborar um plano de carreira

Entenda sua personalidade e preferências

A melhor maneira de chegar onde você deseja é saber exatamente o que quer. Para quem ainda nem entrou na universidade é quase impossível prever o futuro ou saber o que se quer profissionalmente. E a falta de experiência pode ser uma motivadora de decisões erradas.

Mas a boa notícia é que um plano de carreira não é algo fixo, que nunca muda. Pelo contrário, ele precisa ser adaptado ao longo da sua vida, de acordo com as suas experiências, formações e expectativas.

A primeira etapa para elaborar esse plano de carreira é definir o que você gostaria de fazer, o tipo de trabalho que te interessa, o nível hierárquico, o ambiente de trabalho que mais te agrada e as pessoas que gostaria de se relacionar profissionalmente. Isso pode te ajudar até a escolher o melhor curso de graduação, caso ainda não tenha ingressado em uma.

Criar um cenário com possibilidades para o futuro é uma forma de prever possíveis percalços e começar a investir em qualificação desde cedo. Muitos profissionais não conseguem se desenvolver na carreira porque começam a se preocupar com a profissão quando já concluíram a graduação.

Para te ajudar nessa etapa, responda a uma série de perguntas como:

  • Quais são os meus pontos fracos e fortes?

  • Minha personalidade é mais introvertida ou extrovertida?

  • Possuo defeitos que podem interferir na minha vida profissional?

  • Que tipos de atividades quero desempenhar?

  • Prefiro receber ordens ou gerir o meu próprio ritmo de trabalho?

  • Em que ambiente quero trabalhar?

  • Preciso aumentar meu networking?

  • Como quero conciliar minha vida pessoal com a profissional?

  • Prefiro me dedicar mais a uma família ou a minha carreira?

  • Como imagino a minha vida financeira no futuro?

  • Onde quero chegar?

É essencial não basear as suas respostas apenas em suposições. Invista um tempo para fazer uma pesquisa de mercado, leia revistas especializadas, acompanhe sites e blogs que falam sobre carreira e, se possível, converse com profissionais da área que já passaram pela fase que você está agora.

Desenvolva as suas capacidades

Você já deve ter percebido como muitas pessoas conseguem as melhores oportunidades — por terem feito um intercâmbio ou um curso de capacitação —, enquanto outras não tem a chance de mostrar o que sabem, mesmo com talento e vontade de fazer o melhor.

Depois de definir as suas metas e objetivos, e reconhecer os seus pontos fortes e fracos, é hora de desenvolver as suas capacidades. Pessoas qualificadas possuem mais chances de chegar onde querem e sobreviverem diante das adversidades do mercado de trabalho.

Muitas vezes, estudantes e profissionais se conformam com a competição e as dificuldades e não empenham nenhum esforço para crescer. E a partir daí começam a se escorar na crise econômica, na falta de dinheiro ou nos problemas políticos para justificar os sonhos que não realizaram.

Há ainda os que escolhem profissões ou áreas que não possuem tantas habilidades e acabam se deparando com situações que dificultam a aprovação em um processo seletivo ou o recebimento de uma promoção. Um plano de carreira é uma forma de tirar ideias do papel e começar a correr atrás do que se quer.

Ao listar os seus pontos fortes e fracos, analise como eles podem afetar a sua vida profissional. Por exemplo: a maioria das empresas, startups e programas de trainee exigem que o seu futuro profissional tenham nível avançado em um outro idioma, como o inglês ou espanhol.

Se você não possui, pode começar a investir em um curso ou formação on-line, oferecido gratuitamente por muitos sites. Com dedicação, você pode conseguir a fluência em menos de 2 anos.

O mais importante é não tratar os seus pontos fracos como empecilhos para que você chegue onde deseja e negligenciar os seus pontos fortes. Boa comunicação, facilidade em aprender, inteligência emocional, proatividade, espírito de liderança e capacidade de trabalhar em grupo são alguns deles. Invista em atividades e desafios que te ajudem a desenvolver ainda mais o que você já tem de bom.

Confira, a seguir, algumas das capacidades que você pode desenvolver para se tornar um profissional mais qualificado para o mercado:

  • comunicação e leitura em outras línguas;

  • domínio em informática;

  • boa redação;

  • conhecimento em SEO e SMO;

  • noções de edição de imagens e vídeos;

  • e habilidades em mídias sociais.

Mas, a depender da área em que você deseja atuar, é possível aprender ainda mais por meio de cursos e especializações. Falaremos um pouco mais sobre elas nos tópicos seguintes.

Defina ações a curto e longo prazo

Não adianta identificar as suas habilidades ou o que te falta profissionalmente e não fazer nada para desenvolver esses talentos. O plano de carreira não pode ficar baseado apenas no mundo das ideias, e é preciso colocá-lo em prática.

Ele pode ter diferentes durações, de acordo com o que o profissional acha que é melhor para si. Pode ser um a longo prazo — para quem já possui uma certa experiência, tem estabilidade e já sabe exatamente onde quer chegar — ou algo a curto prazo, com objetivos mais tangíveis — ideal para pessoas que estão em processo de mudança de carreira, que nunca fizeram um planejamento ou que ainda nem começaram a trabalhar.

É nessa etapa que você definirá quais devem ser as suas ações para conseguir o que quer. Mas você deve estar se perguntando: como fazer isso?

Vamos utilizar como exemplo um estudante universitário que se formará em menos de 2 anos, mas tem um currículo sem qualquer experiência profissional. Ele sabe que será muito difícil ingressar no mercado dessa forma e que ainda não colocou em prática o que tem aprendido na graduação. O que ele deve fazer agora?

A melhor resposta para essa pergunta seria “conseguir um estágio”. Nesse tipo de trabalho, o estudante poderá descobrir se é aquilo que realmente deseja fazer, o que é necessário para se tornar um profissional melhor e, de quebra, ganhará uma experiência importante para o currículo quando chegar a hora da formatura.

Essa ação a curto prazo pode se transformar em algo benéfico também a longo prazo, afinal de contas, não são raros os casos de presidentes e diretores que começam em uma empresa como estagiários.

Você deve sempre pensar em qual será o andamento das suas ações ou pode cair na armadilha do “deixar para amanhã”. Para fazer isso, é importante seguir 3 etapas:

1ª etapa

Definir quais as competências necessárias para atingir as suas metas.

Exemplo: “quero trabalhar como líder em uma multinacional, mas preciso ter fluência em inglês”.

2ª etapa

Apontar qual o seu nível de conhecimento em cada uma dessas competências e quanto tempo tem para desenvolvê-las. Registre as condições e defina um prazo de início e fim para o que você precisa fazer.

Exemplo: “estou ingressando na universidade e tenho cerca de 4 anos para me tornar fluente em inglês. Começarei no 2º semestre do próximo ano em um curso que tem 2,5 anos duração”.

3ª etapa

Começar a agir. Essa etapa não exige muitas apresentações, pois é aqui que você começa a mudar a sua história e consegue vencer os empecilhos que estão no seu caminho.

Exemplo: “não tenho tempo ou dinheiro para fazer um curso de inglês nesse momento, mas com o meu plano de carreira definido, começarei a juntar o valor X, mensalmente, e vou organizar melhor as minhas atividades para que, no 2º semestre do próximo ano, eu possa investir nessa qualificação”.

Além de autoavaliação, essa etapa requer pesquisa:

  • sobre o que o mercado de trabalho exige agora;

  • sobre o que será importante a longo prazo;

  • e sobre as melhores opções de acordo com a sua realidade.

Quando você conseguir riscar cada uma das coisas da lista, saberá que é o profissional que o mercado está desesperado para ter e que pode fazer diferença no mundo.

Se especialize

Você já deve ter percebido que nem sempre um diploma de graduação é uma garantia para que um profissional alcance os seus objetivos. Antes mesmo de terminar uma formação, os estudantes devem começar a planejar maneiras de se especializar. Concentrar seus esforços em uma área específica te dará a oportunidade de ser alguém imprescindível para a sua profissão.

Pós-graduações, MBAs, cursos técnicos, treinamentos específicos… São diversas as opções disponíveis para estudantes e profissionais já experientes na área. O ideal é encontrar a mais adequada aos seus objetivos e rotina.

Existem alternativas para melhorar uma determinada competência exigida no seu cargo, seja ela tradicional, mais rápida — como os cursos on-line de curta duração — ou mais específica — como a ajuda de um coach. Confira um pouco mais sobre cada uma delas:

Cursos presenciais

Os modelos de ensino mais tradicionais são ideais para estudantes que ainda não ingressaram em um mercado específico, uma vez que essas pessoas têm uma carga horária mais flexível e precisam desenvolver o seu networking.

Cursos a distância

Embora seja recente no mercado, essa opção vem acompanhada de uma variedade de possibilidades. Em uma rápida busca pela internet, é possível encontrar cursos de graduação e de pós-graduação na modalidade de ensino a distância (EAD). Eles têm valores mais acessíveis e carga horária flexível. Há também cursos livres e de especialização em áreas fundamentais para o desenvolvimento profissional, como gestão de pessoas e tecnologia.

Coaching e mentoring

Para profissionais que já têm uma carreira em andamento e precisam desenvolver habilidades específicas para o seu cargo ou para conseguir uma promoção na empresa que trabalham, também é possível recorrer ao trabalho de coaches e mentores. Eles apresentam técnicas e metodologias específicas para que as pessoas se especializem em áreas cruciais, encontrem os principais problemas da sua atuação, maximizem o seu potencial e melhorem a sua performance — tanto na profissão como na vida pessoal.

Capacitação e atualização no mercado

Ao elaborar um plano de carreira, tenha em mente que você nunca chegará a uma fase profissional em que não precisará aprender. Nem mesmo os grandes empresários ou donos de empresas milionárias estão livres das surpresas que o mercado traz.

Para fazer um trabalho de excelência, oferecer produtos e serviços de qualidade e atender bem as necessidades de clientes e consumidores, é preciso se manter sempre atualizado — ou você corre o risco de ficar para trás.

Grandes atletas são exemplos para todos os profissionais. Mesmo batendo recordes e ganhando competições a nível mundial, eles continuam treinando sem parar e aperfeiçoando a cada dia as suas próprias habilidades.

Michael Phelps, o nadador cujo o nome cansamos de escutar sobre, é um desses exemplos. Mesmo sendo considerado um dos maiores atletas de todos os tempos e único a conquistar o maior número de medalhas de ouro em uma única edição dos Jogos Olímpicos, quase ficou de fora das Olimpíadas 2016 após condenações judiciais e episódios de uso de álcool.

Para voltar ao topo, ele teve de reconquistar a confiança do seu treinador e retomar um regime de treinos árduos durante 7 dias na semana, sem descanso nem aos domingos.

Isso mostra que, mesmo que você alcance o objetivo final do seu plano de carreira, nunca deve parar de se capacitar e sempre precisa buscar recursos para desenvolver as competências que lhe faltam. Você continuará aprendendo, crescendo e se orgulhando de si mesmo.

Faça mudanças sempre

Um plano de carreira não te mostrará o que acontecerá no futuro, mas sim como você pode caminhar para atingir um determinado objetivo. O que é preciso lembrar é que não existe um único caminho até a linha de chegada.

Sua carreira, inevitavelmente, sofrerá desvios. Seja por meio de uma demissão, de um problema pessoal, de uma mudança no mercado ou de uma simples alteração nas suas expectativas. Ou você acredita que terá os mesmos sonhos daqui a 10 anos?

Basta observar como exemplo pessoas que já trabalham há anos. Muitas largaram a faculdade para virar empreendedoras (a exemplo de Steve Jobs); outras se formaram, descobriram que escolheram a profissão errada e voltaram para a sala de aula; outras conseguiram oportunidades em países diferentes; e tem até aquelas que desistiram de vez da profissão.

É impossível prever o que acontecerá com a sua jornada profissional. E, justamente por isso, o seu plano de carreira não pode ser algo reto ou linear. Ele deve ser desenvolvido por toda a sua carreira e sofrer mudanças de acordo com as necessidades de melhorias.

Pelo menos 1 vez por mês avalie o rumo que a sua carreira está tomando. Tudo está ocorrendo de acordo com os seus planos? Você está conseguindo cumprir os prazos preestabelecidos? Os seus objetivos continuam os mesmos?

Se as respostas forem “não”, então chegou a hora de mudar. Volte ao início e recomece o planejamento, sem se esquecer de monitorar a evolução, os cronogramas e os problemas que venham a surgir. E, quando eles aparecerem, não deixe de avaliar as causas e procurar as soluções necessárias para resolvê-los.

Esses ajustes serão essenciais para que o seu plano de carreira seja sempre eficaz. Não tenha medo de cometer erros ou ter que voltar atrás em algumas estratégias. Não importa que você siga um caminho diferente do que imaginava, o importante é que você chegue exatamente onde quer.

Saiba se autoavaliar

Não adianta elaborar um plano de carreira fora da sua realidade e esperar que tudo dê certo em um curto espaço de tempo. Você deve traçar objetivos e expectativas que sejam possíveis de alcançar. Mas não precisa sonhar baixo. Pelo contrário, profissionais que chegam ao sucesso são aqueles que correm riscos, nunca se conformam com os “nãos” e não desistem tão facilmente.

O que você não pode fazer é basear todas os seus sonhos na vida e carreira de outras pessoas, esquecendo das habilidades que possui e do esforço que precisará realizar para conseguir o que quer.

Saber se autoavaliar é uma etapa essencial do plano de carreira. Olhar para si mesmo permite que você veja com clareza como anda a sua vida, se o que você deseja há um tempo atrás continua igual, os seus valores, e como você tem corrido atrás do seu objetivo.

A partir daí você conseguirá mudar os aspectos que te incomodam, reavaliar as estratégias que não estão dando certo e seguir firme no que tem trazido bons resultados.

Conclusão

Um plano de carreira é uma estratégia muito importante para que qualquer profissional defina o que gostaria de fazer e como poderá alcançar as suas metas, crie uma visão do futuro e construa uma carreira sólida.

Mas, para atingir qualquer objetivo profissional, é preciso muito mais do que planejamento. Um plano de carreira também é baseado em foco, determinação e disciplina. Por isso, sempre dê o melhor de si.

Busque inovação, desenvolva suas habilidades, cumpra os prazos, trabalhe em grupo, seja proativo, peça ajuda, demonstre capacidade de liderança e nunca se acomode na sua zona de conforto. Não importa se você já cumpriu as suas metas, ficar parado não é uma opção inteligente em um mundo que está sempre em movimento.

Você gostou dessas dicas para elaborar um plano de carreira? Então não deixe de nos acompanhar no Facebook para conhecer bons cursos e as melhores oportunidades do mercado!

Sobre carlos.camara

Esta área é reservada para a biografia do autor e deve ser inserida para cada autor a partir da seção Informações biográficas, no painel administrativo. Caso deseje incluir links para as redes sociais de cada autor do site, recomendamos que instale o plugin WordPress SEO. Após instalado, o plugin criará os respectivos campos para links das principais redes sociais (Facebook, Google Plus e Twitter). Após preenchidos os campos, os links de cada rede aparecerão automaticamente aqui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *