Conheça 6 formas de ingressar no ensino superior

Tempo de leitura: menos de 1 minuto

Quem tem o sonho de ingressar no ensino superior e mudar de vida sabe que é preciso estudar muito e ficar atento aos prazos de inscrição das universidades. E, apesar de estar na boca do povo, o vestibular ainda é um tema nebuloso para muita gente — que nem sabe que é possível começar um curso sem passar pela prova.

Sim, existem várias formas de ser admitido em um curso superior. Quer conhecê-las e descobrir qual é o melhor método para o seu caso? Então acompanhe este post:

O vestibular tradicional

Temido por uns, conhecido por todos, o vestibular tradicional é uma prova realizada depois do término do ensino médio. Ele mede os conhecimentos adquiridos nessa fase dos estudos e, geralmente, é realizada em um só dia.

O processo, no entanto, pode variar de acordo com cada instituição de ensino — pode acontecer de o vestibular ser realizado em 2 fases, sendo uma prova objetiva e outra dissertativa, por exemplo.

No vestibular tradicional, são selecionados os alunos com as maiores notas para preencher o quadro de vagas da universidade em questão. O candidato que escolhe o curso que deseja pleitear pode contar com dados estatísticos — como concorrência e nota de corte — de anos anteriores para tomar a sua decisão.

A avaliação seriada

Quem acha que o vestibular tradicional conta com muita matéria para estudar e não dá a chance de o aluno se preparar de forma adequada com certeza vai gostar de conhecer o processo de avaliação seriada.

Ele ocorre durante o ensino médio, e, ao fim de cada ano, o estudante faz uma prova relacionada ao conteúdo estudado naquele período. No último ano, com a avaliação final, ele pode optar pelo curso que deseja.

O estilo das provas é bem semelhante ao do vestibular tradicional, com questões dissertativas e de múltipla escolha. Normalmente, a nota final da avaliação seriada é uma média de todas as 3 provas.

O Exame Nacional do Ensino Médio

O Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) foi criado em 1998 como uma forma de medir a qualidade das escolas do país. Desde então, ele foi aprimorado e, em 2009, ganhou a função de selecionar os alunos para as faculdades e as universidades federais.

Atualmente, a prova é realizada em 2 dias seguidos, com 1 redação e questões de múltipla escolha. Depois que a nota é divulgada pelo Ministério da Educação (MEC), o estudante pode optar entre um curso em uma universidade pública ou usar o Sistema de Seleção Unificada (Sisu) para tentar uma vaga em uma universidade particular.

Além disso, existem 2 possibilidades para o uso da nota do Enem para ingressar no ensino superior: levar em consideração somente o resultado da avaliação do candidato ou usar o resultado do candidato para ganhar pontos em instituições que aceitam o Enem como parte da nota.

Uma informação importante a ser lembrada é que grande parte dos financiamentos estudantis do governo exigem que o estudante tenha realizado o Enem para ser elegível a bolsas e parcelamentos. Por isso, se esse for o seu caso, comece já a se preparar para a prova!

A obtenção de novo título

Esse é um dos truques para entrar em uma universidade que pouquíssima gente conhece e que pode ajudar — e muito — quem deseja fazer um segundo curso superior.

Quando uma pessoa tem um título de ensino superior, seja ele um bacharelado ou uma licenciatura, ela não precisa fazer o processo de admissão para iniciar outro curso na mesma área. Basta se informar na secretaria da instituição sobre vagas para diplomados.

O único empecilho nesse caso costuma ser a concorrência dos cursos, já que a admissão para diplomados depende das vagas remanescentes. Em universidades públicas e cursos como Medicina e Direito, pode ser bem difícil conseguir entrar por meio desse processo.

Fora isso, a obtenção de novo título costuma ser bem simples: basta reunir uma série de documentos — como histórico escolar, certificado de conclusão de curso e diploma — para realizar a sua matrícula. Mas é importante se informar antes, pois a universidade também tem o direito de exigir uma prova de conhecimento geral.

O processo também é válido para cursos de áreas diferentes, mas pode depender de aprovação.

Os processos de transferência

O medo de muitos estudantes ao fazer a inscrição para o vestibular é não saber se o curso escolhido é o certo para eles. Infelizmente, esses erros acontecem, até porque, aos 17 anos, poucas pessoas já sabem exatamente o que querem para o restante da sua vida. O que fazer nesses casos?

O processo de transferência serve para facilitar a vida de quem deseja mudar de curso, mas que, por algum motivo, não quer abandonar a faculdade, voltar para o cursinho nem começar todo o processo novamente.

A transferência interna

No processo de transferência interna, o aluno pode tentar migrar de um curso para outro na mesma universidade. Os critérios para alteração de cursos em áreas muito diferentes podem variar em cada instituição, por isso, é preciso conhecer as regras antes de se inscrever.

Quando os cursos são semelhantes, o aluno precisará fazer uma prova de aptidão, e as melhores notas são selecionadas para preencher as vagas. Aliás, outro detalhe: só se abre o processo de transferência interna quando existem vagas em aberto no curso, normalmente devido aos alunos desistentes.

A transferência externa

A transferência externa é um processo semelhante, mas, no caso, o estudante muda de uma instituição de ensino superior para outra, podendo ser em outra cidade e até estado.

Normalmente, quem opta pela transferência externa mantém o mesmo curso, mudando somente de universidade. Mas também é possível tentar mudar os dois ao mesmo tempo.

Ingressar no ensino superior não é uma tarefa simples, pois exige determinação e dedicação aos estudos. Porém, conhecendo as normas da universidade, você conta com várias opções e pode escolher a que se adapta melhor às suas necessidades.

Para ficar por dentro das formas de ingressar no ensino superior e de outras dicas sobre a vida universitária, inscreva-se na nossa newsletter. Veja, também, as oportunidades oferecidas pelo UniBH!

Ebook Universidade

Sobre UniBH

Esta área é reservada para a biografia do autor e deve ser inserida para cada autor a partir da seção Informações biográficas, no painel administrativo. Caso deseje incluir links para as redes sociais de cada autor do site, recomendamos que instale o plugin WordPress SEO. Após instalado, o plugin criará os respectivos campos para links das principais redes sociais (Facebook, Google Plus e Twitter). Após preenchidos os campos, os links de cada rede aparecerão automaticamente aqui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *