Qual o peso de um intercâmbio de trabalho no currículo?

Tempo de leitura: 6 minutos

Saber lidar com problemas, buscar soluções imediatas, ter autonomia para fazer suas próprias escolhas, conquistar empatia para entender seus colegas de trabalho e demonstrar capacidades comunicativas são exemplos de algumas das competências mais buscadas por empregadores nos dias de hoje.

Muitas dessas características, porém, dependem da prática constante e precisam ser trabalhadas com antecedência à busca por um novo emprego. A boa notícia é que, para quem pretende fazer ou já fez um intercâmbio de trabalho, é muito provável que já se tenha algum domínio sobre essas competências.

Mas como demonstrar isso para o avaliador na hora de buscar por um novo emprego? No texto de hoje, falaremos sobre isso e sobre as principais habilidades desenvolvidas para quem já ficou um tempo fora do país. Quer saber mais? Então continue lendo para descobrir!

Como apresentar o intercâmbio de trabalho no seu currículo?

Na hora de montar o seu currículo, separe uma área específica para o intercâmbio. Vale mostrar quanto tempo você ficou fora, para onde foi, que tipo de trabalho realizou, quais foram as competências desenvolvidas, quais as línguas praticadas, quais cursos e especializações conseguidas com a vaga de trabalho etc.

Caso prefira ser mais discreto, é possível apresentar sua experiência no exterior juntamente da listagem de outras experiências profissionais que você já tenha tido, mas lembre-se de destacá-la das demais. Vale negritar o nome da instituição na língua do país de origem ou descrever (em detalhes) todas as atividades realizadas.

O importante, aqui, é não deixar esse momento importante de sua carreira passar batido para o avaliador. Quem sabe não será ele a garantir sua nova vaga de trabalho?

4 competências desenvolvidas que você pode valorizar

1. Flexibilidade

Flexibilidade é uma competência que você invariavelmente terá de desenvolver ao longo de um intercâmbio. Isso porque todo estudante ou trabalhador que decide sair do país terá de lidar com questões como mudança brusca de rotina, cultura diferente, comidas e hábitos completamente novos etc.

Sem flexibilidade, um intercambista jamais sobreviveria à experiência de morar fora e, de duas, uma: ou a pessoa desistiria logo no início, ou passaria todo o processo frustrada, incapaz de se abrir e aproveitar o intercâmbio em tudo o que ele tem para oferecer.

Uma pessoa flexível é capaz de transformar toda adversidade em oportunidade, e é exatamente isso que os empregadores estão buscando em seus novos funcionários. Ser capaz de sair da zona de conforto  — e não fazer disso um pesadelo — é algo extremamente valorizado no mercado de trabalho, e pode garantir a sua próxima vaga se você souber demonstrar como isso foi relevante no seu processo de intercâmbio.

2. Autonomia

Ter autonomia significa ser independente, ou ser capaz de lidar com as situações adversas, e resolvê-las, sem a necessidade de um terceiro.

O intercâmbio é um dos melhores momentos para o desenvolvimento dessa habilidade, uma vez que você terá de lidar com uma série de questões que demandarão autonomia e proatividade para que sejam resolvidas.

No trabalho, a falta de autonomia é um dos principais fatores para a insatisfação dos funcionários, uma vez que eles se veem limitados dentro do seu campo de ação, impedindo-os de demonstrar todo o seu potencial na resolução de problemas ou criação de oportunidades.

Essa limitação é prejudicial tanto para o funcionário quanto para o empregador, que também torna-se incapaz de compreender a extensão do talento dos seus próprios colaboradores.

Lembre-se de valorizar toda a autonomia conquistada em um intercâmbio de trabalho e, durante sua entrevista, comente sobre momentos interessantes que tenham demandado algum comportamento independente para ser resolvido. No currículo, mostre que uma de suas atribuições foi, justamente, ter de lidar com problemas e buscar resoluções imediatas.

3. Iniciativa

A capacidade de se ter iniciativa está profundamente atrelada à autonomia do profissional. Essa competência indica a possibilidade de se agir de imediato em alguma situação, independente de instruções ou regras pré-determinadas.

Durante o intercâmbio, é provável que a iniciativa seja amplamente praticada, principalmente na hora de lidar com problemas e situações novas. Essa característica é muito buscada em profissionais de todas as áreas, já que indica a capacidade do colaborador de lidar com seus desafios diários sem atrasar a produção de um ou outro funcionário.

4. Empatia

A empatia é aquela habilidade de nos colocarmos no lugar de outra pessoa para entender o que ela está passando. Essa característica é importantíssima para uma boa convivência em sociedade e, como não poderia deixar de ser, igualmente importante para o ambiente de trabalho.

Durante um intercâmbio de trabalho, é muito comum desenvolvermos esse tipo de habilidade que nos faz enxergar melhor sob a perspectiva de uma outra pessoa, especialmente daquela que sofre ou passa por um problema.

Isso porque, estando em terras estrangeiras, somos muito mais vulneráveis do que quando no Brasil, já que perdemos o apoio direto de nossos pais, amigos ou colegas de faculdade.

Nesse estado de sensibilidade, passamos a considerar muito mais os problemas e os desafios dos outros, já que também passamos por dificuldades como a saudade de casa, a necessidade de readaptação ao ambiente, a mudança brusca de rotina etc.

Portanto, valorize a empatia na busca de um novo emprego. Essa é uma qualidade muito buscada em todos os aspectos de nossas vidas mas, principalmente, no ambiente de trabalho.

Na hora da entrevista

De nada adianta ter desenvolvido todas essas competências se, na hora da entrevista, você não souber valorizá-las.

Mas como fazer isso sem parecer uma atitude forçada?

O segredo é focar em casos ou situações adversas e contá-los de maneira casual. Você não precisa especificar que desenvolveu competência X ou Y — a maneira como você soube lidar com a situação já permitirá que os avaliadores façam inferências a respeito da sua própria personalidade e habilidades como profissional.

Lembre-se de que a experiência no exterior é altamente valorizada no mercado de trabalho, mas ela só se destacará se você souber como apresentá-la apropriadamente em suas entrevistas de emprego.

Curtiu? Então aproveite para compartilhar nosso conteúdo nas redes sociais! Quem sabe ele não ajuda um amigo que está voltando agora de um intercâmbio?

Sobre UniBH

Esta área é reservada para a biografia do autor e deve ser inserida para cada autor a partir da seção Informações biográficas, no painel administrativo. Caso deseje incluir links para as redes sociais de cada autor do site, recomendamos que instale o plugin WordPress SEO. Após instalado, o plugin criará os respectivos campos para links das principais redes sociais (Facebook, Google Plus e Twitter). Após preenchidos os campos, os links de cada rede aparecerão automaticamente aqui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *