Segunda graduação ou pós: o que vale a pena fazer?

Tempo de leitura: menos de 1 minuto

O mercado de trabalho se mostra tão exigente que, para construir uma carreira sólida, ter apenas uma formação não é mais o suficiente. Por isso, muitas pessoas buscam continuar os estudos, e duas alternativas muito procuradas são a segunda graduação e a pós-graduação. Nesse caso, decidir entre essas opções se torna o principal desafio, afinal, cada profissional tem planos diferentes para a sua carreira.

O que você pensa em fazer após a sua graduação? Especializar-se em sua área de formação ou adquirir novos conhecimentos? Continuar trabalhando no seu emprego atual ou mudar de profissão? Essas são só algumas das perguntas que vão te ajudar a tomar a melhor decisão para a sua vida.

Contudo, a escolha exige muito cuidado, e as peculiaridades de cada opção devem ser levadas em conta. Veja, a seguir, algumas informações relevantes sobre o assunto:

Quando fazer uma segunda graduação?

Quando a sua rotina e o seu orçamento não forem comprometidos

Ao cogitar iniciar uma segunda faculdade, é preciso analisar a sua disponibilidade de tempo e de dinheiro. A nova graduação consumirá tantos esforços quanto o primeiro curso. Portanto, é muito importante avaliar se será possível conciliar trabalho e faculdade por mais alguns anos.

Em relação ao dinheiro, é preciso ficar atento, pois não é possível usar o Fies nem o Prouni em uma segunda graduação. Para conseguir qualquer tipo de desconto, você deverá usar a nota do Enem ou do vestibular da própria instituição de ensino. Logo, será um investimento que pesará mais no bolso.

Quando você não está feliz com o seu curso

Um estudante pode perder a afinidade com o seu curso, e isso faz com que ele fique desmotivado com a área. Essa insatisfação naturalmente leva a um desejo de mudança.

Essa procura por conhecimentos mais abrangentes em uma segunda graduação também pode ser motivada por disciplinas “compartilhadas” com outros cursos. Por exemplo: na grade do curso de Enfermagem podem existir matérias de Fisioterapia. Ao cursá-las, o estudante pode criar novos interesses.

Quando não existe afinidade entre a sua formação e o seu trabalho

Essa decisão passa pela satisfação com o atual emprego. Se o seu trabalho for de um segmento diferente em relação à sua formação, então é o momento de escolher entre se manter na profissão ou sair para tentar algo relacionado à sua graduação.

Por exemplo: se você acabou de se formar em alguma licenciatura e tem o desejo de ser professor — mas trabalha num escritório fazendo serviços administrativos —, deve escolher entre uma coisa ou outra. Caso escolha continuar no emprego, uma segunda graduação na área de Administração ou de Ciências Contábeis pode ser a melhor escolha.

Lembre-se de que isso vai depender muito do plano de carreira que a sua empresa oferece, das suas expectativas de crescimento e de como o mercado de trabalho em sua região está para a sua área de formação.

As vantagens e as desvantagens da segunda graduação

As vantagens

  • Abertura de um leque maior de conhecimentos;

  • preparo adequado para tentar a sorte em um novo mercado de trabalho;

  • compreensão da nova área de atuação;

  • agregação de valor ao currículo.

As desvantagens

  • Falta de especialização:

  • alto investimento de tempo e de dinheiro;

  • pouco sentido em graduações similares (por exemplo: Jornalismo e Relações Públicas).

Quando fazer uma pós-graduação?

Quando se busca uma especialização

A pós-graduação é indicada para quem deseja se aperfeiçoar em sua área de atuação. Como os cursos são mais curtos (normalmente duram até 2 anos), eles são focados em uma subárea da sua formação. Sendo assim, a pós pode ser muito útil quando você já está ambientado com o seu segmento e pretende se manter nele.

Seguir em uma pós é um caminho natural para os estudantes que, durante a graduação, descobrem uma afinidade maior com uma determinada área do curso — por exemplo: alunos de Publicidade e Propaganda que se especializam em Marketing Digital, e os de Ciências Biológicas que se encaminham para Gestão Ambiental.

Quando o seu poder de investimento é menor

Uma pós-graduação demanda menos “esforços financeiros” para os estudos. Não só pela duração menor, como também pela rotina de aulas. Uma pós dificilmente tem mais do que duas ou três aulas por semana, e em muitas instituições as aulas são ministradas aos sábados.

Ainda há a possibilidade de optar por uma pós-graduação on-line. Esse é um caminho escolhido por muitos estudantes que têm pouco tempo para se dedicar às aulas presenciais ou que preferem pagar menos, visto que as mensalidades na modalidade a distância costumam ser mais baratas.

Quando se pretende seguir carreira acadêmica

Para quem pretende realizar pesquisas e estudos em sua área, a pós-graduação é a melhor escolha. Os cursos de mestrado acadêmico e, posteriormente, de doutorado qualificam o profissional para dar aulas em universidades e para viverem das suas pesquisas.

Um ponto positivo dos mestrados e dos doutorados é que eles são oferecidos em diversas universidades públicas, ou seja, você pode ficar isento de qualquer custo de mensalidade para seguir com o curso.

Quando você almeja um cargo gerencial ou de direção em sua empresa

Os cursos de pós-graduação costumam ser mais bem vistos no mercado de trabalho, pois eles têm um peso maior do que uma nova graduação.

A pós está em um nível de especialização e não de introdução a uma área. São conteúdos mais práticos, teoricamente mais avançados e que envolvem profissionais que já têm uma base nos temas estudados.

Além disso, certos tipos de pós-graduação — como os MBAs e os mestrados profissionais — preparam melhor um profissional para assumir cargos de alta hierarquia nas empresas.

Um curso tecnólogo pode ser uma boa escolha?

O curso tecnológico pode ser uma terceira via para quem não quer seguir por nenhum dos dois caminhos anteriores. A sua duração geralmente é de dois anos, e direciona os alunos para a prática de ferramentas que atendam às demandas específicas da área escolhida.

Essa opção não é tão específica quanto uma pós-graduação nem tão ampla quanto uma nova graduação. Ela pode ser considerada uma segunda formação, ou seja, mantém o aluno no mesmo patamar, porém, traz uma visão mais prática da sua graduação.

De todo modo, a escolha por uma segunda graduação, pós ou curso tecnólogo impactará positivamente em seu currículo. O que você precisa ter em mente para tomar essa decisão é a sua atual situação financeira e profissional.

Você gostou deste post? Então assine a nossa newsletter e receba as nossas atualizações em seu e-mail. Veja, também, as opções de cursos oferecidas pelo UniBH!

Sobre carlos.camara

Esta área é reservada para a biografia do autor e deve ser inserida para cada autor a partir da seção Informações biográficas, no painel administrativo. Caso deseje incluir links para as redes sociais de cada autor do site, recomendamos que instale o plugin WordPress SEO. Após instalado, o plugin criará os respectivos campos para links das principais redes sociais (Facebook, Google Plus e Twitter). Após preenchidos os campos, os links de cada rede aparecerão automaticamente aqui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *